Ayalla Rebeka

 
registro: 02/12/2021
Os olhos são os intérpretes do coração mas só os interessados entendem essa linguagem.
Pontos75mais
Próximo nível: 
Pontos necessários: 125

*** Emoções ***

Não entregue teus melhores pincéis

nas mãos de amadores...

- eles não conhecem teus sonhos,

teus projetos de vida,

não sabe nem mesmo

como manipular uma aquarela...

Só tu, conhece e sabe identificar

as nuances de tuas emoções...


Apenas EU

Sou eu. Apenas eu. Sou exatamente aquilo que me apetecer. E como quiser ser. “Sou livre. Sou linda. Sou Louca. Sou Luta. Sou minha.” Sou eu. Apenas eu e ninguém mais. Sou aquilo que mostro e não digo. Sou aquilo que faço e sigo. Aquilo que quero e persigo. Tranquila e sem perigo. Sou eu. Sou aquilo que os teus olhos não vêem e o espelho não mostra. Sou aquilo que digo e tu não entendes. Sou a calma que entra num estrondo. Sou aquilo que faço e não escondo. Aquilo que perguntas e não respondo. Sou eu. Sou nada mais que eu. E nada menos do que tu. E Então?


Andar com Fé.


Não me questione sobre o silêncio, sei das tempestades que tenho que abafar quase sempre para conseguir seguir de cabeça erguida e sorriso no rosto - e não é questão de não deixar transparecer o que se passa aqui, é só que as pessoas já tem problemas demais para se preocuparem com os meus. Tenho mania de querer abrir os braços para o mundo e quando é vez de me cuidar, me isolo. Não, não é depressão, é que intensifico a dor, ela me faz crescer de um jeito sobrenatural. E acredite: eu sempre me surpreendo com os resultados. Sinto-me cada vez mais pronta para recomeçar com fé.


Não sou de meias palavras...



Não sou de meias palavras...
Sentimentos pela metade...
Ou, chega e transborda...
Ou, deixa secar. Gosto de risos
Que se transformam em gargalhadas,
Espontânea e escandalosas...
Em nada sou contida. Se é pra ser amigos,
Seremos para qualquer hora...
Para o que der e vier...
Não somente para os momentos que lhe interessa. Não sou de meias palavras...
Sou inteira, verdadeira...
Digo o que penso,
Meu defeito é ser sincera ao extremo.


Eu acredito



Eu ainda me permito.
Eu ainda tenho sonhos.
Ainda faço planos. 
Ainda acredito no impossível.
Ainda me permito fantasias, ilusões, utopias...
Às vezes, ainda me permito ter coração, e confessar os meus sentimentos.
Permito-me ainda a ingenuidade de alimentar os sonhos. 
Imaginá-los possíveis. Imaginar.
E acredito. 
Ainda acredito no amor, na paz, na vida. 
E às vezes, ainda me permito revelar esse meu lado sensível.
Ainda creio nas pequenas coisas, 
Nas grandes realizações, nas pessoas.
Ainda me permito à fé, a esperança. 
Acredito numa força maior que a minha vontade. 
Às vezes, ainda ouso ser forte.
Permito-me ainda, a dor, o sofrimento, a saudade. 
O pranto.
Permito o medo, a coragem, a conquista. 
Permito-me realizar.
Permito que a alegria e o riso me tomem sem explicação.
E, ainda, permito-me a felicidade!
 Onde quer que ela esteja.
Eu ainda me permito sonhar