Marinheirа

Status do relacionamento: em um relacionamento
registro: 24/09/2017
- you live inside me! ___
Pontos1Mais
Manter o nível: 
Pontos necessários: 199
Último jogo

Poema: flor da mocidade

Vês, queridα, o horizonte ardendo em chαmαs? Além desses outeiros vαi descαmbαndo o sol e, à terrα enviα; Os rαios derrαdeiros; A tαrde, como noivα que enrubesce, trαz no rosto um véu mole e transparente; No fundo azul a estrela do poente Já tímida aparece.
Vem tu, agora, ó filha de meus sonhos, vem, minha flor querida; Vem contemplar o céu, página santa que amor a ler convida; Da tua solidão rompe as cadeias; Desce do teu sombrio e mudo asilo; Encontrarás aqui o amor tranqüilo... Que esperas? que receias?


- Nó de marinheira não desata.

...De repente te conheci...!
Assim, na sua etapa, onde você se julga final, de tua alta maturidade!
...E eu? Me anestesiei no seu encanto de pletunidade que compreende às minhas súbtas e indecifráveis
[ Entrelinhas ]
Entrelinhas que paira no meu subcosciente impenetrável... De repente um silêncio, o voalá, me entendeu!
Quanto tempo, busquei você ?
Muitos anos, nas moças, nas coxas, nas cabeças ocas, nas aventuras surrealistas, nas verdades, nas mentiras...
...Vaguei, flutuei, naveguei, naufraguei.
Me encontrei, em você!
Porque todas às vezes que voce sentir medo do passado eu, estarei lá, te empurrando para o presente!
Porque todas às vezes que voce sentir medo do presente eu, estarei aqui te lembrando do futuro!
Porque todas às vezes que voce sentir medo do futuro eu, estarei lá, com voce, sempre a te amar.


- Meu grande amor!

A tua presença!
É tão sublime, quanto a névoa que se dissipa nos mares frios!
A tua essência é como lâmina, que ultrapassa os ventos sombrios!
A tua voz acalma as torrentes do mar da minha alma e, aniquila as sombras dando a calma!
...Há de ser!
...e, é somente de minha alma, teu doce encanto, teu encanto de leoa brava!
...Bromélia que meus lábios à rega, mas pela noite em silêncio, para mim tu desabrochas!

Marinheira


O voou da águia não se eleva

Se pensares noutro mundo, onde as cinzas da nobreza resvala no condão do esquecimento
Te daria a vida e o sangue, para que te vala este vão tempo?
Não! Não! Não...
Qual tempo que passaste na mansidão de pensamento?
Digo apenas um vão tempo, que se vai girando ao vago!
Não contempla a sequidão do orvalho, nem as vê poeira soprada na rua do presente.
O olhar da águia altiva, esmorece no olimpo, cai com as penas, cai pelos raios o castigo.
No vago infinito em vão
O voou da águia não se eleva
Cai no esquecimento pelo chão.

Marinheira


- Tarde serena, serena tarde!

Tarde serena, serena tarde.

Que sempre a paz de espírito encontre um caminho de ofélias até minha porta aberta.

Onde os candelabros acendam a misericórdia.

E os ventos contrários fiquem esquecidos do lado de fora.

E que a gostosura de ser o doce que o mel alimenta

Seja sólido e enalteça o branco às cortinas velhas

Ou aquele quadro na sala, pintado em suaves aquarelas

Que a ternura da alma, seja azeite de esplendor

Aquela que sorri, sentindo o suavizar da vida

Que os sonhos cresçam, que percorram as avenidas, que percorram

a realidade vivida e sentida.


Rachel Heydrich